Tâmaras – João Paulo Esteves da Silva

Tel Aviv

Não se explica o amor

nem se é amor o amor

Aqui sinto-me bem

no sentido mais estúpido do termo

talvez eu seja daqui

ou então tenha sido feito para chegar aqui

a estes pátios floridos

e ao barulho do mar junto à janela

Mas, se calhar, nem uma coisa nem outra

e o sítio sem argumentos

é o meu lugar fora do tempo

lugar de todos os tempos

Talvez o pó de estrelas mortas

de que sou feito seja o mesmo pó do deserto

que me irrita a garganta

agora

no oásis

com amor

 

douda correria#48
Tâmaras – João-Paulo Esteves da Silva
(fotografias de capa do autor / grafismo de Joana Pires)

#48.jpg

Imprensa:

Livro do dia na TSF

Paulo José Miranda- Hoje Macau 

 

escritores.online –  13/11/2016

Lançamento do livro ´Tâmaras`de João Paulo Esteves da Silva:

https://escritores.online/tamaras-joao-paulo-esteves-da-silva-apresentacao-no-bar-irreal/ 

 

Tâmaras publicado em hebraico pela editora Keshev Leshira:

Tmarim – João Paulo Esteves da Silva

(traduzidos para hebraico por JPES e Mordechai Geldman)

Estão previstos lançamentos para dia 19 de Outubro em Jerusalém e para o dia 24 em Telaviv, com a presença do autor

Tâmaras em Hebraico.jpg

 

João Paulo Esteves da Silva. (músico, poeta, tradutor)

Vem seguindo uma carreira pública enquanto pianista, improvisador, compositor etc. Mas aspira, e dedica-se, desde sempre, a muitas outras coisas. Por ex. à poesia. Publicou cinco livros, “Notas à Margem”, “Ainda Menos”, em 2001, na editora Amores Perfeitos, “Trinta e quatro sonetos e trezentas e cinco redondilhas”, em 2014, “Tâmaras” em 2016, na editora Douda Correria, “Vertem-se bíblias em quimbundo/Crime”, 2017, na Miasoave, e tem alguma colaboração dispersa por revistas, e poemas incluídos em antologias, como por exemplo “Voo Rasante”, Mariposa Azual, 2015, Nanopoética (Makomleshira, Israel,2017) Ao teatro, traduziu Beckett, Ibsen, Strindberg, Pasolini, Stoppard, Albee, Pinter, Rostand, entre outros. À língua hebraica. Metade do seu tempo dedica-o a esta língua e a estudos e escritas com ela relacionados, traduziu o livro ‘Teoria do Um” do poeta Mordechai Geldman, publicado recentemente (2015/2016) pela Douda Correria, e que vem a ser o primeiro livro de poesia israelita contemporânea publicado em Portugal . À busca de aproximações e diálogos entre a música e outras artes, assinou trabalhos em conjunto com o fotógrafo José Luís Neto, compôs bandas sonoras por exemplo, para o filme “Sem Nome” de Gonçalo Waddington, realizou uma curta-metragem, “Partitura”. Ainda em colaboração com o poeta já mencionado, Mordechai Geldman, tem pronto para publicação, neste momento, um livro de poemas seus, em hebraico.

img_8750_J. P. E. da Silva.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s