O Martelo – Adelaide Ivánova

a porca

a escrivã é uma pessoa
e está curiosa como são
curiosas as pessoas
pergunta-me por que bebi
tanto não respondi mas sei
que a gente bebe pra morrer
sem ter que morrer muito
pergunta-me por que não
gritei já que não estava
amordaçada não respondi mas sei
que já se nasce com a mordaça
a escrivã de camisa branca
engomada
é excelente funcionária e
datilógrafa me lembra muito
uma música
um animal não lembro qual.

douda correria#34

O Martelo, Adelaide Ivánova

(capa de Xueh Magrini Troll / composto por Joana Pires)

#34.jpg

 

 

Suplemento de Pernambuco- um Livro como de fosse uma mordida

Jornal do Commercio

Três poemas de O Martelo na Modo de usar

Suplemento de Pernambuco

Adelaide Ivánova na modo de usar

Três poemas de “O Martelo”, de Adelaide Ivánova

A poeta e fotógrafa brasileira Adelaide Ivánova acaba de ter lançada em Portugal sua segunda coletânea de poemas, O Martelo (Lisboa: Douda Correria, 2016). Abaixo, três poemas do livro, que pode ser encomendado na página da editora portuguesa.

Resenha no suplemento de Pernambuco

suplemento pernanbunco

 

Noite Doudona 1- Nuno Moura lê Adelaide Ivanóva

Noite Doudona 2-Nuno Moura lê Adelaide Ivanóva

Noite Doudona 3-Nuno Moura lê Adelaide Ivanóva

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s